16.8.19

Chegam


Todo o tempo
Tantos absurdos
Inundando os meus ouvidos

Eles me cansam e causam dor
Estou farto de tudo isso
Preciso de um alívio

Quero corresponder ao teu amor
Saciar o meu desejo
Conversar baixinho

E depois
Ouvir somente o silêncio
Recebendo o teu carinho

Mas se não puder ficar de vez
Então é melhor me deixar
Prefiro ficar sozinho

15.8.19

Durmo bem


Mas não sonho
Isso não quer dizer
Que sou vazio por dentro

Às vezes até percebo que sonho
Mas depois acordo
E não me lembro

Será que isso quer dizer
Que trago algum segredo
Desconhecido de mim mesmo?

Não creio que seja algo perigoso
Mas se existe algum transtorno
Não entendo porque o escondo

Ou seria tão ameaçador e grave
Que é mais seguro
Mantê-lo como prisioneiro silencioso

14.8.19

Não tem jeito


Somos humanos
Dependemos uns dos outros
Sozinhos não sobrevivemos

Precisamos agir por aqui
Não há como escapar
É o único planeta que temos

Não tem fora, só tem dentro
É este que temos que salvar
É aqui que vivemos

13.8.19

Em meus momentos de ócio


Perdido em pensamentos
Caneta na mão
Papel em branco sobre a mesa

Ausente do entorno
Rabiscando a esmo
Me vejo surpreso

Com a tua inconfundível silhueta
Me dirigindo o traço
E se revelando no desenho

Nudez impositiva
Que ilumina a minha visão
Insistindo em marcar presença

12.8.19

Falhei contigo


Falhei comigo
Não era para ter acontecido

Tudo estava bem
Eram só alguns desajustes

Bobagens pequenas
Um acumulado de mal-entendidos

Bastava ter tampado a tua boca com a minha boca
Parado de só falar e ter te dado mais carinho

Naquele exato momento em que vieste me dizer
Que tínhamos chegado ao fim

Que era definitivo e que daquele momento em diante
Teríamos que trilhar caminhos distintos

Mas não acreditei que pudesse acontecer
E me omiti

E agora vejo que tudo está perdido
Você partiu e eu só pude assistir

9.8.19

Ninguém está imune ao tempo


Examino minhas rugas
Meus cabelos ralos
Minhas costas curvadas
Minha expressão cansada
Minha voz rouca e pausada
Meu temperamento

Certamente não te reconheceria
Se a visse neste momento
Pois até eu me surpreendo
Com o que vejo
Quando distraidamente
Passo em frente a um espelho

8.8.19

Dê-me tudo o que puder


E que seja rápido
Que seja hoje
Teus lábios
Teu abraço
Esta noite

Não pensemos no depois
Dê-me o teu ventre
O teu êxtase
O teu grito catártico
O teu corpo extenuado

Não percamos o instante
A felicidade demora pra aparecer
Mas escapa rápido
É fugas
Ninguém a prende

E assim ficaremos unidos
Os relógios pararão
O silêncio cobrirá nossos corpos nus
Nada mais existirá
No nosso entorno

É tudo o que buscamos
É o que merecemos viver
Em nossos momentos íntimos
Nada além de nós
Deve fazer sentido

7.8.19

No corpo e no sentimento


A tua presença
Me anima
E me coloca em movimento

A tua ausência
Me paralisa
E é a causa do meu sofrimento

6.8.19

Quand la nuit d'un amour perdu


Decidé de faire leur maison en moi
Um sommeil incontrôlable m'a envahi
Et me faire dormir pendant des décennies
Avant que je puisse réagir

5.8.19

Depois que eu morrer


E minhas gavetas e armários
Precisarem ser esvaziados
Para que os pertences
De um outro vivente
Ocupem os mesmos espaços

Não te espantes se encontrares
Enter os meus guardados
Alguns segredos
Não serão muitos nem tão pesados
Todos os temos e não é por acaso

Representam a verdadeira face
Do que fomos
Do que somos
E o que provavelmente nos tornaríamos
Encare-o com naturalidade

E faça com eles o que tiveres vontade
Não vejo problema em tê-los revelados
Só peço respeito
Com aqueles que ainda respiram
E com a minha história

Pois não terei nem mesmo
Como me defender ou protestar
Lembra
Já estarei do lado de lá
E sem ter como voltar

1.8.19

O amor não é cego


Assim como não é cega
A paixão

São outros e diversos
Os seus distúrbios de visão

A paixão é hipermétrope
E só se sustenta

Na medida em que a outra parte
Se mantém distante e a respeita

Enquanto que o amor
É míope

E só existe
Com o outro por perto

Precisando conhecer e aceitar
Cada detalhe do seu objeto

31.7.19

Tu ne peux pas mentir


Pour toi même
Quand le sujet
C'est le sentiment

29.7.19

J'ai besoin de tes secrets


Comme argument
De ma poésie

Ce que j'apporte ici
Sans eux

Se révèle être une lyrique
Faux et vide

26.7.19

Passam os dias


E o clima
...
E o clima

Árido como o diabo
Meus olhos vermelhos
Incendiados

Sinto falta da chuva
A de fora
E a de dentro

Chover
Para que tudo germine
E tenham sua chance

Planta
Esperança
Sentimento

25.7.19

Se era amor que buscavas


E finalmente
Encontraste o primeiro
Não entendo o porquê
De não tê-lo incontinente

Adotado
Abraçado
Agarrado
Preso em corrente

Hoje penso
Assustaste
Foi forte demais
O que sentiste

E antevendo o sofrimento
Que poderias ter que enfrentar
Da felicidade
Fugiste

24.7.19

"Certas canções que ouço


Cabem tão dentro de mim"...

Me fazem voltar no tempo
Inundando-me o pensamento
Com coisas que vivi
Lembranças de minha irmã querida
Músicas que por pura implicância
Coisa de criança
Eu dizia detestar
Pois jamais aceitaria gostar
Daquilo que ela afirmava tanto amar
Hoje posso lembrar e reconhecer
Como seria bom poder concordar
Pelo menos um pouco
E compartilhar os gostos
E até mesmo juntos relembrar as brigas
Disputas pueris e infrutíferas
Por coisas prosaicas
Que hoje me parecem
Tão profundas e necessárias

..."Certa emoção me alcança
Corta minha alma sem dor
Certas canções me chegam
Como se fosse o amor"... (MN)

23.7.19

Esperou amanhecer


Foi até a praia
Viu a ilha
Chegou a molhar os pés
Enquanto examinava o mar

Esperou a coragem bater
Mas considerou-o grande demais
E mesmo que quisesse
Jamais ousaria atravessar

Deu-se por vencido
E enquanto o sol se recolhia
Teve que aceitar
Que nunca mais a veria

19.7.19

In life


Does not recognize
The value of victory

Who has never suffered
A defeat

18.7.19

Agora


Você está com outro alguém
E eu acho até bom isso acontecer
Pra você finalmente se convencer
De que entre nós só tem um jeito
É você pra mim e eu pra você

17.7.19

Há noites


Tão mal dormidas
Que meus olhos fixos e injetados
Solidificados pela dor
Do amor perdido
Rompem o teto do quarto
E viajam desorientados
Pelo espaço insondável

Quando atingem a estrela
De uma outra galáxia
Não resistem a tanta energia
E extenuados pela longa jornada
Acabam inexoravelmente
Por desmancharem-se
Num turbilhão de soluços e lágrimas

16.7.19

I heve no more time


To conform
With small loves

Loves
More or less

Now I just want
The best

The biggest
And the most intense

15.7.19

Quando nasce o poema


Existe um drama
Que é comum a todo artista

Depois de uma gestação inteira
E um parto tão difícil

O que preencherá o vazio que fica?
Ainda haverá inspiração para mais poesia?

12.7.19

Amor


De uma noite

Amor
De até um outro dia

Amor
De falso relâmpago

Amor
De efêmera alegria

10.7.19

A natureza molda o ser


Um vento cortante
Chicoteia meu rosto
Paralisando o meu querer

Não sinto mais meu corpo
O frio penetrante
Congela até meus sentimentos

Tudo o que me resta
É continuar andando
Para tentar sobreviver

Pois nem mesmo um grande amor
Por mais imenso que possa ser
Consegue resistir a tanto sofrimento

5.7.19

Era pra ser


Um envolvimento leve
Não mais que uma brincadeira
Algo pra passar o tempo
Não era pra ficar desse jeito

Mas fomos atropelados
Pelo que não controlamos
E assim foram crescendo
Os nossos sentimentos

E agora que está tudo acabado
Só me resta saber
Se antes de eu morrer
Terá fim este sofrimento

4.7.19

Nosso amor fracassou


Não tem nem meia hora
Pois vejo que agora
Nem mesmo como motivação
Para a minha poesia
Ele tem serventia

3.7.19

Amar


É um direito
De todo ser
Vivente

Assim como sentir
Não importa o que
O de quem sente

E também
De na vida
Estar ou não presente

Desde que sua permanência
Ou ausência voluntária
Seja uma decisão consciente

2.7.19

Será que antes de morrer


Terei a chance
De novamente ver você
E poder lhe dizer
O quanto foi importante
Tê-la ao menos por um instante?

Naquele mágico momento
Em que aconteceu o único beijo
O mais puro e verdadeiro gesto roubado
Mas que foi, sim, bem me lembro
Aceito e compartilhado

E que acabou gerando em mim
O eterno aprendizado
De que na vida
Tudo o que acontece fica marcado
E nada é por acaso

1.7.19

Nosso planeta sem a água


É uma massa sem graça
Um torrão disforme
Que não consegue nem mesmo
Moldar-se como uma esfera

Tu, meu amor
És minha água
Preenches minhas falhas
E crateras

Regularizamos nossas formas
E juntos nos tornamos
Algo quase tão belo
Quanto a Terra

27.6.19

Não resisti


E já que estava passando por ali
Resolvi fazer-lhe uma visita.
Ela parece não se importar
Com o que acontece lá em cima.

Conserva-se assim,
Com todo o recato,
Imersa em seu mundo,
Satisfeita e pudica.

É linda.
E sua voz melodiosa e delicada
É um coro de fadas
Uma obra-prima.

Passaria a vida admirando-a,
Não permitindo que nada mudasse,
Mas, sempre acabo me deixando levar pelo desejo
Vencendo suas barreiras e invadindo sua intimidade.

Ela é farta e generosa no que oferece.
Com ela, é fácil chegar ao êxtase.
Sua força telúrica eleva a minha alma
E fortalece as minhas energias.

Estar com ela é sentir-se abrigado.
Amado e renovado.
É atingir plena comunhão com a natureza.
Saio dela sempre melhor do que quando entrei.

Ela sabe de sua importância
E promete estar lá,
Sempre disposta a receber bem
Àqueles que reconheçam seus méritos e competências.

Precisamos estar alertas
Mantê-la protegida,
Para que seja eterna e nenhum mal lhe aconteça.
Salve, salve a cachoeira!